Um novo caminho de acesso à cultura espírita

Editora EME      sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Compartilhe esta página com seus amigos

A posição de flexibilidade do espiritismo não surpreende, pois estava previsto desde 1868, pelo sábio mestre lionês que, em A Gênese, no capítulo primeiro, escreveu que “caminhando de par com o progresso, o espiritismo jamais será ultrapassado”. 

Assim, o espírita consciente não teme o progresso, os avanços que tragam novidades em obediência a uma das leis apresentadas pela própria doutrina – a evolução.

É o caso dos livros digitais, os e-books. Eles querem fazer parte da nossa vida, tal como os livros de papel fazem desde o século 15.  Mas muitas pessoas ainda torcem o nariz para eles – inclusive espíritas.

Não deveriam.

“Os livros digitais são mais fáceis de carregar, o que ajuda os leitores. Para os mais jovens, também representa facilidade para transportar mais um livro, entre outros, como os didáticos de seus estudos. Para as crianças, os livros digitais podem ser mais interativos e dinâmicos, com ilustrações, áudios e animações, o que certamente irá servir de estímulo ao hábito da leitura. Além disso, o livro digital traz uma proposta sustentável, alinhando com o espiritismo até no que diz respeito à natureza”, avalia o jornalista George De Marco, da Editora EME.

Segunda maior editora do setor no Brasil, a EME possui mais de 500 livros publicados e é também a segunda editora espírita a investir na venda de livros digitais. Já são quase 20 títulos editados convertidos para a versão digital e que poderão ser adquiridas de qualquer loja digital do país e do mundo (veja no box os locais de venda).

Entre os títulos que já foram convertidos estão A vingança do judeu, Cora do meu coração, Getúlio Vargas em dois mundos, Leila, a filha de Charles entre outros. Clique aqui para conhecer a lista completa. 

A conversão do conteúdo é feita com custos competitivos, graças à parceria com a Bibliomundi, que promove a distribuição das obras.

Por não haver custos referentes à impressão, transporte, armazenamento ou acabamento, os e-books são mais baratos e proporcionam comodidade, pois os leitores têm acesso aos conteúdos imediatamente após a compra, sem sair de casa e sem esperar pela entrega. Também ganham no quesito mobilidade porque podem armazenar centenas de obras em um único lugar, além de terem baterias que duram muito.  Outra característica é a interação com o texto, possibilidade de aumentar a letra durante a leitura, pesquisar palavras e capítulos por meio de ferramentas de busca, criar anotações no texto, entre outros.

Como o número de usuários de smartphones hoje representa mais de 63% da população mundial, as publicações da EME estarão ao alcance de qualquer pessoa com um dispositivo, independente da sua marca ou do modelo.

“A iniciativa da Editora EME representa um novo caminho para a democratização e ampliação do acesso à cultura espírita-cristã. O leitor pode apreciar a obra que quiser em qualquer lugar do mundo”, afirma Raphael Secchin, sócio-fundador da Bibliomundi.

Se em todas as áreas temos uma tendência natural de acompanhar o mercado, com relação aos livros não deve ser diferente. Principalmente com livros espíritas, a doutrina progressiva por excelência.

Sabendo que tudo evolui, inclusive as religiões e filosofias espiritualistas – motivo pelo qual o espiritismo surgiu e tem se desenvolvido na época atual, conforme preconizou Kardec –, podemos compreender que a doutrina espírita acompanha o progresso da humanidade em todas as direções. Depois de quase 600 anos, é a vez dos livros.

 

E-books da Editora EME. Clique aqui e conheça nossos títulos em formato digital.

Comentários


Revista de livros - Editora EME

Informativo Leitor EME

Aborto não, nunca!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Gestão de crises emocionais - Vídeo Donizete Pinheiro

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Aqui tem EME

quinta-feira, 23 de março de 2017

Passos (ou páginas) para a felicidade

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Muito além de um simples descanso físico

quinta-feira, 29 de junho de 2017